(11) 4396-2343 E-mail: contato@zurichtermoplasticos.com.br

PP vs PET – Quem ganha mais espaço no mercado?

Diego Z F 28 de novembro de 2017 Nenhum comentário Industria do plástico, Injeção de Termoplásticos
  • Compartilhe isso nas redes sociais:
PP vs PET – Quem ganha mais espaço no mercado?

PP vs PET

É inegável que desde sua descoberta, o desenvolvimento dos polímeros plásticos tem os colocados em papel de destaque na produção.

Hoje o plástico é capaz de substituir materiais tradicionais, como a madeira, o metal e até as fibras para confecção.

Entre os termoplásticos, um dos mais utilizados e conhecidos pelo público é, sem dúvidas, o PET.

Contudo, a produção dos polímeros não para de evoluir e o material vem ganhando um concorrente de peso.

A batalha dos termoplásticos 

Durante anos o PET reinou entre as embalagens e vasilhames para os mais variados produtos que possamos imaginar, usualmente encontrados em todos os setores de um supermercado, por exemplo.

Assim, tornou-se um dos termoplásticos maus usados pelo homem, além de ser aquele que possui maior índice de reciclagem.

Há alguns anos, porém, podemos observar o desenvolvimento do polipropileno, o PP, que apresenta um amplo crescimento na produção de embalagens injetadas de ciclo rápido e paredes finas.

Além disso, é também utilizado na produção de peças expostas à baixa temperatura, micro-ondas, tampas, copos descartáveis etc.

E mais: o estágio atual do termoplástico permite que ele rompa antigas barreiras técnicas, como barreiras a gases.

Tudo isso somado a um brilho e transparência que se iguala ao PET, o que resultou no PP conquistar seu território.

E o material ainda apresenta a vantagem de ter uma baixa densidade, 0,905g/cm³, fator ideal para produção de peças muito leves, embalagens injetadas de ciclo rápido e de parede fina. E não compromete sua elevada resistência química e fadiga por flexão.

O PET, porém, não fica para trás e, ao longo dos anos, também conquistou seu espaço e evolução.

Sua transparência, capacidade de barrar gases e altíssima resistência mecânica continuam a fazer com que esse seja um dos polímeros mais utilizados.

Vale lembrar que, segundo a Associação Brasileira do PET (Abipet), desde 1994 o uso da resina cresceu em 350%.

E, mesmo com o crescimento da concorrência do polipropileno, continuou a ocupar fatia significativa no mercado de embalagens.

A realidade é que hoje é possível trabalhar com os dois polímeros para obter produtos de alta qualidade.

A escolha irá depender da necessidade de cada empresa e de suas características.

O PET já é uma solução consolidada, já o PP abre novos espaços. Com isso, no curto prazo, é um polímero que deverá ganhar mais espaço no mercado.

E temos só a ganhar com essa “disputa” entre os termoplásticos. Tanto em qualidade quanto em opções de produtos.

Gostou deste artigo? Continue acompanhando nosso blog e tenha acesso a mais informações sobre a indústria do termoplástico.

Até a próxima!

Postado por: Zurich Termoplásticos | WWW.INJECAODEPLASTICOS.COM.BR


0 Comentários




Deixe o seu comentário!