(11) 4396-2343 E-mail: contato@zurichtermoplasticos.com.br

Plástico no Oceano: como eles vão parar lá e quais os impactos?

Zurich Termoplásticos 25/02/2021 Nenhum comentário Meio Ambiente
  • Compartilhe isso nas redes sociais:
Plástico no Oceano: como eles vão parar lá e quais os impactos?

A presença de plástico no oceano é um dos principais desafios ambientais que a humanidade precisa enfrentar nas próximas décadas. Estudos indicam que até 2050 haverá mais plástico do que peixes em nossos mares.

Além de afetar a vida marinha, esse dado é alarmante também para a nossa saúde. Os microplásticos – partículas microscópicas dos polímeros – são consumidos por inúmeras espécies que servem de alimentos a peixes e outras espécies marinhas que fazem parte da dieta humana. 

Quando somados ao consumo indireto de partículas plásticas advindas de alimentos e bebidas que são embalados com plástico, chegamos a níveis alarmantes de polímeros em nosso organismo, cujo efeito em nossa saúde no longo prazo ainda é desconhecido.

Mas a culpa é do material ou da forma como descartamos as peças e produtos fabricados em plástico? Afinal, como os plásticos chegam aos oceanos? É essa pergunta que vamos te responder nesse artigo!

 

Plástico no oceano: um problema urgente

Embora os polímeros tenham sido descobertos há cerca de cem anos, o material conquistou posto chave nos processos produtivos. Hoje, o mundo produz mais de 400 milhões de toneladas de plástico.

O material possibilitou inúmeros avanços nas mais diversas áreas. De fato, é improvável pensar em muitas das soluções modernas que utilizamos em nosso dia a dia sem a existência e uso do plástico. Duvida? Dê uma olhada à sua volta e veja como os termoplásticos estão presentes.

Além de representar um grande aliado dos processos e produtos por suas características, diversidade e facilidade de moldagem, o plástico tem potencial para ser aliado do meio ambiente, estando entre as matérias-primas com maior possibilidade de reciclagem.

O problema é que de todo o plástico produzido no mundo anualmente, apenas 9% desse total é reciclado, segundo dados da ONU. Assim, o destino da esmagadora maioria do plástico acaba sendo os aterros, lixões e, claro, o oceano.

 

Um dado alarmante sobre plástico no oceano

A respeitada organização ambiental WWF estima que 10 milhões de toneladas de plástico chegam aos oceanos todos os anos, sendo que deste total, 80% tem origem nos territórios. 

Ou seja, não são gerados por atividades realizadas nos mares, como a pesca, extração de petróleo, embarcações náuticas, etc.

Uma vez no oceano, a decomposição do plástico é ainda mais lenta que em terra, sendo quebrado em pequenos pedaços até se tornarem os microplásticos que hoje são uma das maiores ameaças à vida marinha.

Se quisermos mudar essa realidade e recuperar nossos oceanos, que têm papel fundamental tanto para a nossa alimentação como para o equilíbrio climático e ambiental da Terra, precisamos entender como o plástico vai parar no oceano e tomar medidas para que isso não ocorra mais.

 

Como o plástico vai parar no oceano?

O enorme índice de plástico no oceano é responsabilidade direta das nossas atitudes, mesmo quando moramos longe do mar. Confira abaixo os principais motivos que levam a esse cenário.

 

Descarte incorreto

Embora o potencial de reciclagem dos polímeros seja incrível, a realidade é que pouco do plástico produzido utilizado e descartado no mundo acaba na reciclagem. 

No Brasil, por exemplo, produzimos 11,33 milhões de toneladas de lixo plástico por ano. Desse total, apenas 1,2% é reciclado.

Esse lixo que não é reciclado, mesmo quando colocado em lixeiras comuns, muitas vezes acaba sendo levado pela chuva aos esgotos e assim alcançando rios e mares.

Não contribua com isso! Recicle seus resíduos plásticos, principalmente em empresas que usam muitas peças de polímero.

 

Jogar lixo na rua

Que as pessoas ainda não tenham adquirido o hábito de separar o lixo reciclado é até compreensível, o que não dá mais para aceitar é quem joga lixo na rua; seja uma pessoa física ou uma empresa.

O lixo jogado na rua é levado à rede de esgoto pelas chuvas. Além de entupir bocas de lobo e outras soluções de escoamento, contribuindo para a ocorrência de enchentes; esse lixo plástico tem como destino final os rios e oceanos.

 

Polímeros que vão para o ralo

Ainda hoje, algumas pessoas e empresas jogam na privada materiais que contêm plástico como em sua composição, como cotonetes, por exemplo. 

Além disso, roupas que contam com fibras sintéticas em sua composição soltam microplásticos durante o processo de lavagem, bem como alguns cosméticos e produtos de higiene contam com microesferas de plástico em sua composição.

Para mudar esse cenário, é importante não fazer o vaso sanitário de lixo, bem como procurar fazer escolhas de consumo consciente. A realidade é que alguns produtos não necessariamente precisam da presença dos polímeros, enquanto outros não existiriam sem eles.

 

E então, que tal mudar a realidade do plástico no oceano?

O plástico no oceano não precisa ser um problema sem solução. Se cada um fizer a sua parte e exigir das empresas parceiras e governantes medidas que permitam diminuir o índice de plástico levado aos oceanos, nós podemos mudar esse quadro!

Para saber mais sobre a indústria do plástico e a injeção de termoplástico curta nossas páginas nas redes sociais e continue acompanhando nosso blog!

Até a próxima!

 

Publicado por Zurich Termoplásticos

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *