(11) 4396-2343 E-mail: contato@zurichtermoplasticos.com.br

O que é e como funciona uma extrusora de termoplástico?

Diego Z F 17 de outubro de 2018 Nenhum comentário Industria do plástico
  • Compartilhe isso nas redes sociais:
O que é e como funciona uma extrusora de termoplástico?

Especialista em desenvolvimento de projetos e produtos, contamos com um software e equipe focada na criação de peças plásticas com alto nível de qualidade e acabamento

A indústria do plástico é uma das mais presentes em nosso dia a dia. Para o bom funcionamento do ciclo é importante o uso da extrusora de termoplásticos. Entenda.

A indústria do plástico é uma das mais importantes da atualidade. Os polímeros dão forma aos mais diferentes produtos utilizados em nosso dia a dia.

Para atender uma demanda tão exigente contar com modos de produção que garantam a qualidade e a escala é essencial.

Nesse sentido a extrusora de termoplástico se mostra como um equipamento adequado para atender essas exigências.

Entendendo a extrusora de termoplásticos

Uma das características que faz o plástico ser tão utilizado é sua gigantesca capacidade moldagem.

Os polímeros termoplásticos podem, sob condições de temperatura e pressão, ser adequados a qualquer forma.

Um dos métodos de fazer isso é por meio das máquinas injetoras.

Nelas, a matéria-prima é derretida, injetada em um molde sobre alta pressão e, após o resfriamento, sai na forma desejada.

Embora esse processo seja rápido, ele não é contínuo.

E essa é a grande diferença com relação à máquina extrusora de termoplástico.

A extrusora é capaz de gerar produtos contínuos. A rosca, presente no sistema do equipamento, gira e envia material para a matriz de forma constante.

As peças produzidas são resfriadas posteriormente, enquanto na injetora esse processo costuma ocorrer dentro do molde.

A alimentação da máquina pelos grânulos de plástico ocorre por meio de funil.

Após passar por esse funil, os grânulos são enviados a uma rosca que os leva a um cilindro, no qual são aquecidos por intermédio de uma resistência elétrica.

Aqui temos 3 fases: alimentação, compressão e dosagem.

Na fase 1, alimentação, os grânulos são aquecidos até quase alcançar o ponto de fusão.

Na fase 2, compressão, o material é comprimido contra as paredes do cilindro até que se plastifique.

Na fase 3, dosagem, é o momento o qual se mistura o material e realiza a vazão.

O grande diferencial no uso da extrusora de plástico é sua produtividade. Devido, principalmente, à continuidade do processo.

Para uma indústria onde o ganho de escala é essencial, o processo produtivo das extrusoras é ideal.

Quer saber mais informações e novidades sobre a indústria do plástico? Continue acompanhando nosso blog!

Até a próxima!

Postado por: Zurich Termoplásticos | WWW.INJECAODEPLASTICOS.COM.BR


0 Comentários




Deixe o seu comentário!